Tuesday, 4 November 2014

A ver se a gente se entende

Parece que aquela pessoa alemã que tende a fazer comentários sobre Portugal como se soubesse do que fala e tivesse alguma legitimidade política sobre o país voltou a dizer coisas. Desta feita, inventou que Portugal tem licenciados a mais. Ora, não só é uma perfeita idiotice dizer tal coisa - pessoas que estudam demais? demasiadas pessoas que estudam? gente demasiado especializada? povo demasiado informado? - como é de uma enorme ignorância sobre Portugal. Ainda que aceitássemos o bafiento modelo social regressivo dos trabalhadores baratos que encaixam em qualquer função e estão prontos para a lavoura ao fim da escolinha, o desemprego em Portugal não é só para os licenciados, mas também e até principalmente para os jovens sem qualquer formação superior (é o Eurostat que o diz). Que outra hipótese teremos para interpretar a frase da pessoa? Será que a preocupação da criatura é com o dinheiro que gastamos no ensino superior? Mas isso parece impossível, vindo de um governo que acaba de o tornar gratuito para os estudantes na Alemanha. Estará a chanceler a tentar construir uma Europa dos pensadores e gestores lá em cima e os burros de carga cá em baixo? É que se o objectivo não for deste nível, perigoso e inaceitável, então é simplesmente mais uma demonstração da inépcia da criatura para falar de Portugal (ou da Europa?). Senão vejamos os números, que demonstram que Portugal tem uma percentagem de licenciados bem inferior à média da UE e à da Alemanha.


Monday, 27 October 2014

Serviço Público - "suplemento dos suplementos"

Num anúncio que se repete a cada intervalo, uma senhora vai em busca do "suplemento dos suplementos", que "vem num frasco de vidro", que utiliza "fórmulas desenvolvidas e testadas em laboratório" e que é feito com "os melhores ingredientes" e "com todo o cuidado". Com esta descrição, a pessoa que atende a senhora identifica imediatamente o dito suplemento.

Ora então pensemos: o que é um suplemento dos suplementos? É caso para dizer: quando o seu centrum andar desequilibrado ou o seu cerebrum cansado, dê-lhes solgar? Ou é o melhor de todos os suplementos? Mas o melhor para quê?

Depois, o frasco de vidro parece apenas o factor que distingue a caixa, para as pessoas saberem o que pedir na loja. Infelizmente no caso do anúncio não funciona, o empregado continua à espera de mais indicações. (de resto, até gosto da ideia de frascos de vidro em vez dos plásticos e afins do costume)

Segue-se a referência à utilização de fórmulas e teste laboratorial, cujo propósito é apropriar-se da fiabilidade do conhecimento científico para dar a entender que a segurança ou a eficácia do produto estão cientificamente comprovadas. Mais uma vez, eficácia para quê?
(Não deixa de ser interessante, num momento em que estes supostos produtos de saúde fogem da medicina científica para a falsa fiabilidade do "natural", ver um suplemento apelar à autoridade do teste laboratorial)

Não sendo isto suficiente, a cliente ainda refere que o produto é feito com os melhores ingredientes e com todo o cuidado. Quererá isto dizer que os outros não são? É que é neste momento que o empregado identifica o Solgar e, estupidamente, diz à cliente "boa escolha!". Fico a pensar que esses empregados que por aí andam vendem suplementos mal feitos às pessoas que não sabem pedir Solgar, um perigo!
E quanto aos ingredientes? Para responder a esta questão precisaríamos de saber qual o suplemento de que falamos. Na verdade, este anúncio é a uma marca de suplementos que poderão ser desde "pele, unhas e cabelos" - uma novidade no site -, "complexo termogénico" - o típico suplemento para emagrecer, com tudo o que a expressão tem de estúpido, que inclui o grão verde de café cujos supostos efeitos foram recentemente expostos como treta -, ou ainda o absurdo "multivitaminico feminino" - que, entre outros, teoricamente fornece 400mg de cálcio diários (mas que vem com um corante que é pó de beterraba que contém um agente que limita a disponibilidade do cálcio para a absorção) e até vitamina E, cuja suplementação para além das quantidades obtidas numa dieta saudável é, no mínimo, questionável. Ora, no caso destes, será que o cálcio da Solgar é melhor que o cálcio de outras marcas? Ou será a sua molécula de ácido ascórbico (vitamina C) diferente? Não, claro. Esta treta dos "melhores ingredientes" só pode ser uma referência ao facto desta marca também vender uma outra treta, extractos de plantas, querendo dizer que não há espécimes de espinheiro branco ou de Boswellia como os da Solgar.

Esta questão dos suplementos, tal como a dos extractos de plantas, tem muito que se lhe diga e merece textos dedicados, seja em relação à sua segurança seja em relação à sua utilidade. Mas por agora, contento-me em expor o ridículo da sua propaganda.